Home

Deputado da base aliada ao governo Bolsonaro, Capitão Wagner votou contra reforma e questionou proposta

 

O plenário da Câmara aprovou nesta quarta-feira com 379 votos favoráveis, o texto-base da reforma da Previdência em 1º turno. A proposta prevê idade mínima de aposentadoria, tempo de contribuição e regras de transição. A reforma é considerada uma das principais apostas da equipe econômica para sanear as contas públicas.

 

Um dos votos que surpreendeu nesta votação foi o do deputado Capitão Wagner, do PROS. Apesar de compor a base do governo Wagner destacou alguns pontos que o levaram a ficar contra o projeto. "Um cidadão que ficar inválido por conta da violência, porque levou um tiro nas ruas, ele deixa de receber a sua pensão integral e passa a receber apenas 60%. Da mesma forma se isso acontecer em acidente de trânsito, Alzheimer ou Mal de Parkinson".

 

Wagner também falou sobre suas discordâncias acerca do tratamento dados aos policiais na proposta. Para o deputado, há uma diferenciação entre os servidores. Segundo ele, militares das Forças Armadas foram tratados de maneira privilegiada. Para concluir a primeira rodada de análise da PEC, deputados ainda precisam votar os chamados destaques, para alterar pontos específicos da proposta de emenda constitucional. (Foto: O POVO)