Home

Grande número de peixes morreu no trecho no Rio Cocó e Semace diz não conhecer as causas do fenômeno

 

Na manhã desta terça-feira, 9, moradores da rua Conde Januário, no bairro Castelão, foram surpreendidos com a grande quantidade de peixes mortos no Rio Cocó. Fotos e vídeos mostram milhares de peixes que já morreram e outros que tentam sobreviver.

 

Desde o último domingo, 7, moradores que vivem as margens do rio, começaram a notar a situação. O cardume em decomposição gera um mau cheiro intenso. E é difícil chegar até ao local onde os animais estão acumulados. Também é possível ver a quantidade de peixes mortos que ainda se acumula na margem do rio, além do lixo jogado na água. Pessoas que residem no entorno dizem que o fenômeno ocorre todo ano, após o fim da quadra chuvosa.

 

O gerente de análise e monitoramento da Superintendência Estadual do Meio Ambiente, Gustavo Gurgel, diz que ainda não é possível saber quais são as causas deste fenômeno. Amostras da água e também dos animais foram levadas para avaliação. Paulo Lyra, gestor do Parque do Cocó, considera que só as análises podem confirmar se houve alguma contaminação, mas já existe um projeto, segundo o gestor, para limpeza em toda a extensão do rio. (Vídeos: Germana Pinheiro)