Home

Procurador do Trabalho rebate a ideia de que crianças podem trabalhar para não cometer crimes

 

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informam que no Ceará 85 mil crianças e adolescente estão trabalhando. O número coloca o Ceará entre os três estados nordestinos com maior registro de crianças e adolescentes ocupados, atrás, somente, da Bahia e do Maranhão. Apesar desses dados, o procurador do Trabalho, Antônio de Oliveira Lima, afirma que as ações de combate à exploração infantil que é realizado há 10 anos no Ceará tem contribuído para reduzir a quantidade de jovens ocupados.

   

Cerca de metade do trabalho infantil detectado no Ceará se concentra em atividades agrícolas %u2014 especialmente de subsistência e com maior incidência na Serra da Ibiapaba e nas Chapadas do Araripe e Apodi. O procurador destaca ainda que o trabalho infantil varia de acordo com a idade. Uma questão social também colocada pelo procurador é a ideia de que crianças podem trabalhar para não cometer crimes, opinião que é rebatida por Antônio de Oliveira. "Existem muitos mitos. Um deles é dizer: 'ah, melhor trabalhar do que roubar'. Quando a pessoa fala isso, ela está se referindo a uma criança pobre, geralmente", afirma. (Foto: Divulgação/YouTube)